Page content

O Nosso Foco

 

Soluções integradas de desenvolvimento impulsionadas pelas prioridades de Angola e pelo novo Documento Programa do PNUD 2024-2028.

O nosso Plano Estratégico 2022-2025 apresenta a evolução do #NextGenUNDP para o #FutureSmartUNDP. Trata - se da nossa nova referência de sucesso no futuro do desenvolvimento. Com mais de  50 anos de experiência o PNUD está em 170 países, e a nova abordagem nos permite focar e priorizar onde as demandas dos países são maiores. Ao trabalharmos juntos dessa forma, pretendemos ampliar as escolhas das pessoas para um futuro mais justo e sustentável, com pessoas e o planeta em equilíbrio.

Nosso trabalho

Em Angola, saiba como as nossas áreas programáticas e tranversais, soluções integradas de desenvolvimento, impulsionadas pela digitalização, inovação e financiamento do desenvolvimento, estão a aumentar a escala e o impacto das nossas iniciativas do PNUD no país.

Saiba mais sobre as nossas áreas programáticas nas próximas secções.
 

Promovemos o crescimento económico mais inclusivo, diversificado e sustentável

Em Angola, o PNUD contribui para a agenda de diversificação económica do país através da alavancagem de investimentos privados, da resolução de lacunas institucionais e políticas e do reforço da capacidade dos pequenos agricultores, das Micro, pequenas e médias empresas (MPME) formais e informais. O PNUD visa ajudar o Governo nos seus esforços de aumentar a oferta de emprego e as oportunidades de desenvolvimento de competências para as mulheres, os jovens, as pessoas com deficiência e os grupos marginalizados, através da promoção do acesso a serviços financeiros e de inclusão digital; mercados para pequenos agricultores e MPME, assim como o ensino e formação técnica e profissional de qualidade.

O PNUD aplica uma abordagem holística do desenvolvimento com base no seu papel de integrador e na sua vantagem comparativa. O PNUD apoia a transição inclusiva da economia informal para a economia formal e um melhor acesso aos serviços sociais básicos nos mercados informais. Para aumentar a produtividade, o PNUD reforçará o acesso a serviços de desenvolvimento empresarial para as MPME formais e informais, em especial as lideradas por jovens e mulheres.

O PNUD continua a aprofundar os seus esforços de mobilização de recursos e de desenvolvimento de parcerias estratégicas com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico em África (BADEA), a fim de aumentar o emprego, os rendimentos e a resistência às alterações climáticas.
Reconhecendo a contribuição significativa das instituições financeiras internacionais, o PNUD continuará a trabalhar com o Fundo Mundial, o GEF, o GCF, o LDCF, a União Europeia (UE), o Banco Europeu de Investimento (BEI), o BAD, o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI). O programa continuará a estabelecer parcerias com a Noruega, o Japão, o Reino Unido, a Turquia, Portugal, a França, a Alemanha e outros parceiros estratégicos.

O PNUD reforçará as parcerias existentes e promoverá novas parcerias para melhorar a sua carteira e aumentar os seus conhecimentos especializados, nomeadamente através da cooperação Sul-Sul e triangular com a Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), os Inspectores Fiscais Sem Fronteiras (TIWB) e PALOP.
 

Na área da saúde contribuimos para o acesso equitativo a serviços sociais, especialmente mulheres, jovens e os mais vulneráveis

Na qualidade de beneficiário de recursos significativos do Governo e do Fundo Global, o PNUD trabalha no sentido de garantir a prestação ininterrupta de serviços de saúde às pessoas que vivem ou são afectadas pelo VIH, pela malária, pela tuberculose ou pelas pessoas afectadas pela COVID-19 em províncias seleccionadas. O PNUD apoia também as autoridades sanitárias nacionais e subnacionais e as organizações da sociedade civil para melhorar a qualidade e a cobertura dos serviços de prevenção e tratamento, tanto a nível das comunidades como das unidades de saúde.

Neste âmbito, o PNUD pretende utilizar abordagens comunitárias que promovem a liderança da sociedade civil, incluindo as populações-chave, para eliminar as barreiras relacionadas ao género e os direitos humanos à saúde sexual e reprodutiva e aos direitos das raparigas adolescentes, das mulheres jovens e de outras populações-chave, garantindo assim a integração da igualdade de género e uma maior participação das populações-chave e vulneráveis na concepção, execução e acompanhamento das intervenções sanitárias.

Alinhado as necessidade e prioridades do Ministério da Saúde, o PNUD projecta utilizar a sua Estratégia Digital 2022-2025 para catalisar os ecossistemas de inovação locais e identificar oportunidades para o desenvolvimento de competências digitais, com destaque para os sistemas de gestão de informações logísticas para ajudar a promover uma cadeia de abastecimento eficiente que garanta a entrega ininterrupta de medicamentos de qualidade e a continuidade dos cuidados para as populações vulneráveis, incluindo as pessoas que vivem com o VIH e as afectadas pela malária, tuberculose ou COVID-19.

PNUD promove uma abordagem abrangente e sistémica da saúde, procurando e aproveitando oportunidades para sinergias programáticas sobre a saúde nos quatro resultados. Como tal, o PNUD colabora com a ANASO, ADPP, ADRA, Dom Bosco, Mosaiko, Iris, Ondjango Feminista, AIA.

Empenhado em "Delivering as One" e na reforma das Nações Unidas, o PNUD reforçará parcerias com a OMS para a concepção de programas de saúde; com a ONUSIDA para as questões relacionadas com os direitos humanos, as populações-chave e a participação das pessoas LGBTQI; com o FNUAP para os direitos em matéria de saúde sexual e reprodutiva das raparigas adolescentes e das mulheres, a igualdade entre os sexos e a emancipação das mulheres.
 

Fortalecemos a gestão sustentável do ambiente e dos recursos naturais e são resistentes às catástrofes e às alterações climáticas

O PNUD continuará o seu diálogo com o Governo e defenderá uma maior integração dessas prioridades no planeamento e financiamento do desenvolvimento. Com base na sua Promessa Climática, o PNUD continuará a apoiar Angola no aumento das suas ambições para as suas contribuições determinadas a nível nacional (CDNs) ao abrigo do Acordo de Paris, acelerando simultaneamente a implementação das contribuições condicionais sobre adaptação e mitigação.

O apoio será alargado à Estratégia Nacional para as Alterações Climáticas 2022-2035, à Estratégia e Plano de Acção Nacionais para a Biodiversidade 2019-2025, aos objectivos de neutralidade da degradação dos solos e aos planos nacionais de adaptação. O PNUD facilitará o acesso do país ao Fundo Mundial para o Ambiente (GEF), ao Fundo para os Países Menos Avançados (LDCF) e ao Fundo Verde para o Clima (GCF), bem como a outras oportunidades de financiamento, incluindo doadores bilaterais e parceiros de desenvolvimento.

O PNUD aproveitará a oportunidade para oferecer soluções aceleradas de desenvolvimento de baixas emissões e de transformação dos meios de subsistência para as comunidades fora da rede, ao mesmo tempo que combate a desflorestação e a degradação das florestas, através da restauração dos ecossistemas e da promoção dos mercados de carbono. Em parceria com o Governo, outras agências das Nações Unidas e o sector privado, o PNUD promoverá uma transição energética justa através de um maior acesso às energias renováveis.

O programa promoverá a gestão eficaz da biodiversidade e dos recursos da vida selvagem, com base no Compromisso do PNUD para com a Natureza, e apoiará a aplicação do Quadro Mundial para a Biodiversidade, na sequência das resoluções da COP 15, nomeadamente através de uma melhor gestão das zonas de conservação e das zonas marinhas protegidas. O PNUD promoverá a participação dos jovens, das mulheres e das comunidades rurais na gestão e conservação das zonas protegidas através de plataformas comunitárias e digitais. O PNUD trabalhará igualmente com FIDA, a FAO e o PNUA no domínio da adaptação às alterações climáticas e da agricultura resiliente.
 

As nossas áreas tranversais: Governação, Género, Inovação e Digitalização

O PNUD prosseguirá a integração do seu programa de governação nas suas carteiras de saúde, emprego e alterações climáticas, acima referidas. O PNUD apoiará as instituições nacionais e subnacionais na concepção de políticas e programas inclusivos e sensíveis ao género para melhorar o acesso à saúde, ao emprego e a resistência às alterações climáticas. O PNUD apoiará a agenda de descentralização do país, capacitará as administrações locais e garantirá a disponibilidade de serviços essenciais a nível local.

Para promover a boa governação e a transparência, o PNUD apoiará alguns ministérios e autoridades locais na digitalização dos seus sistemas de gestão da informação estratégica. O PNUD implementará um pacote de desenvolvimento de capacidades para apoiar o sistema nacional de gestão de aprovisionamento e fornecimento de produtos de saúde. Promoverá a assistência jurídica e soluções digitais para melhorar o acesso à justiça e aos direitos humanos a nível comunitário. Será dada prioridade à participação das mulheres, dos jovens, das pessoas com deficiência e dos marginalizados identificados em cada pilar.

Através do Laboratório de Aceleração, o PNUD promoverá abordagens criativas para adoptar soluções inovadoras para desafios de desenvolvimento complexos, incluindo a utilização das conclusões do Modelo Integrado dos ODS (iSDG). Trabalhando em toda a Organização, o PNUD irá reforçar e desenvolver as suas parcerias estratégicas com os governos nacionais e locais, autoridades tradicionais, Assembleia Nacional, Tribunal de Contas, Provedor de Justiça, Protecção Civil, INE, INEFOP, INAPEM, AGT e BNA.

O PNUD reforçará igualmente o seu envolvimento com a sociedade civil, apoiando simultaneamente a governação inclusiva, os direitos humanos, o envolvimento da comunidade na saúde, as incubadoras de empresas, as plataformas digitais, a igualdade de género e a inclusão financeira.

O PNUD colaborará igualmente om a ONU Mulheres na promoção da igualdade de género e do empoderamento das mulheres; e com o UNV na promoção do voluntariado. O PNUD consolidará a sua parceria com o Governo de Angola e aprofundará as suas relações com os parceiros de desenvolvimento, o meio académico, as organizações da sociedade civil, as populações-chave e vulneráveis e o sector privado.
 

IGUALDADE DE GÉNERO

Atualmente, tanto mulheres quanto homens, meninas e rapazes em todo o mundo falam por si próprios e por aqueles que foram silenciados, estigmatizados, e constrangidos por muito tempo. Muitos deles são de uma nova geração...

CRESCER DIGITAL

A inclusão é um tema cada vez mais presente na nossa sociedade, que nos leva a reflectir e a agir sobre as desigualdades sociais e a encontrar formas de transformar o presente para construir um mundo mais justo e equitativo, à luz do slogan da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável de "não deixar ninguém para trás.