Laboratório de Saúde Pública de Inhambane vai testar diariamente perto de 400 amostras

Posted January 27, 2022

Representantes de Instituições do Estado presentes no evento, Representante Residente do PNUD e parceiros de cooperação depois da inauguração do Laboratório de Saúde Pública de Inhambane. Foto: INS/Júlio Nandza

Até ao final de 2022, cada província do país contará com um Laboratório de Saúde Pública, dois dos quais financiados pelo PNUD Moçambique e os restantes pelo Fundo Global, através do Ministério da Saúde (MISAU). 

 

Maputo, 27 de Janeiro -  A província de Inhambane conta, a partir de 24 de Janeiro, com um Laboratório de Saúde Pública, equipado com tecnologia moderna, com capacidade para testar diariamente perto de 400 amostras de várias doenças, incluindo a Covid-19 usando a tecnologia PCR. “Este laboratório é uma resposta às necessidades dos técnicos de saúde e da população da nossa província ao tempo de resposta de resultados das amostras colhidas que, anteriormente, era de cerca de sete dias e agora passará de 24 a 48h”, enfatizou Daniel Chapo, governador da província de Inhambane, durante o seu discurso de inauguração.

PNUD continuará a apoiar esforços do Governo

Dirigida pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago, a cerimónia de inauguração contou, entre outros, com a presença da Representante Residente do PNUD, Narjess Saidane, da Secretária de Estado de Inhambane, Ludmila Maguni, do Governador de Inhambane, Daniel Chapo e  do director-geral do Instituto Nacional de Saúde (INS), Ilesh Jani.

Falando no seu discurso de abertura, a Representante Residente do PNUD, Narjess Saidane, recordou a parceria com o MISAU, explicando que o PNUD continuará a apoiar os esforços do Governo na gestão da crise provocada pela Covid-19 e outras doenças. “Este laboratório irá incrementar a capacidade do país na gestão da pandemia da Covid-19. E o PNUD continuará a apoiar os esforços do país nos próximos anos”, disse.

O Ministro da Saúde, Armindo Tiago, realçou a importância da infra-estrutura para a província de Inhambane. “O Laboratório de Saúde Pública de Inhambane, que hoje inauguramos, está dotado de capacidade para processar cerca de 400 amostras por dia. Além de dotar a província de capacidade de diagnóstico laboratorial da Covid-19, irá permitir o diagnóstico de outras doenças relevantes ao nosso contexto epidemiológico, no âmbito da atenção médica, da vigilância epidemiológica e da investigação científica”, enfatizou.

Laboratório reduz distância e assegura melhor qualidade de resultados

Antes da construção e entrada em funcionamento deste laboratório, que é descrito como de Referência, as amostras eram transportadas das várias unidades hospitalares da província para análises no Laboratório Central de Maputo, aumentando os riscos de comprometer a qualidade dos resultados. Doravante, contudo, as amostras de testagem PCR serão analisadas no local, assegurando maior flexibilidade no diagnóstico e tratamento de pacientes.

Inserido no âmbito do projecto de “Fortalecimento do Sistema de Saúde”, o laboratório foi construído para garantir a testagem descentralizada de amostras da Covid-19 usando a tecnologia PCR, bem como fazer testes de biologia molecular, HIV,  malária, tuberculose e de outras doenças.

“Estes laboratórios são concebidos para atender às demandas locais no que diz respeito ao diagnóstico especializado, à garantia de qualidade da testagem laboratorial, à vigilância epidemiológica, aos inquéritos, à investigação e à formação. Tendo em contas as funções, estes laboratórios, que são de referência, são equipados com tecnologia e recursos humanos diferentes dos que se encontram nos laboratórios das unidades sanitárias”, explicou o director-geral do Instituto Nacional Saúde (INS), Ilesh Jani.

Para o dirigente, a pandemia da Covid-19 veio catalizar o processo de estabelecimento dos laboratórios provinciais de saúde pública. “Os laboratórios de saúde pública não substituem os laboratórios das unidades sanitárias, mas são estruturas que realizam funções complementares aos laboratórios das unidades sanitárias. Estabelecemos o primeiro laboratório de saúde em Nampula em 2018 e, desde então, em algumas outras províncias”, acrescentou.

Representante Residente do PNUD Moçambique, Narjess Saidane, proferindo o seu discurso de abertura durante a cerimónia de inauguração do Laboratório de Saúde Pública de Inhambane. Foto: INS/ Júlio Nandza