Edital de Instituições Parceiras do Floresta+ Comunidades tem inscrições prorrogadas para 17 de junho

Posted 6 de June de 2022

Foto: Ministério do Meio Ambiente.

O prazo para as inscrições no edital “Instituições Parceiras” da Modalidade Comunidades do Projeto Floresta+ Amazônia foi prorrogado para 17 de junho. As Organizações da Sociedade Civil (OSC) ou as Organizações Não Governamentais (ONGs) parceiras e associações representativas dos povos indígenas e dos povos e comunidades tradicionais da Amazônia Legal serão pré-selecionadas e habilitadas para atuar na implementação de projetos locais de fortalecimento de gestão ambiental e territorial na região.

No site do Projeto Floresta+ Amazônia, é possível consultar os requisitos do edital e os materiais de apoio para a inscrição. As OSC, ONGs e associações comunitárias interessadas devem apresentar, por meio de formulários modelos do edital, as informações sobre a experiência de trabalho com povos indígenas e povos e comunidades tradicionais na Amazônia Legal e a capacidade de gestão de recursos e de prestação de contas. Para se inscrever, a organização deve enviar os formulários juntamente com documentações indicadas no edital para o e-mail licitacoes.jof@undp.org

Aquelas que atenderem aos critérios serão pré-selecionadas e formarão um banco de dados, que será amplamente divulgado para os povos e comunidades durante o período de implementação da Modalidade Floresta+ Comunidades. Serão formadas, então, as parcerias para a elaboração conjunta dos projetos detalhados que serão apresentados na etapa da Chamada de Propostas da Modalidade. 

Floresta+ Amazônia

Modalidade Floresta+ Comunidades tem como objetivo apoiar a implementação de projetos locais que visem fortalecer a gestão ambiental e territorial nos territórios de povos indígenas e de povos e comunidades tradicionais. A modalidade também está com inscrições abertas ao edital que selecionará ideias de projetos locais de povos indígenas e de povos e comunidades tradicionais da Amazônia Legal. As ideias de projetos deverão abordar um ou mais dos seguintes temas: conservação ambiental, recuperação de áreas degradadas, produção agroecológica, fortalecimento de cadeias da diversidade amazônica e vigilância e proteção territorial e ter orçamentos entre R$ 100 mil e R$ 800 mil (saiba mais aqui). 

A modalidade faz parte do Projeto Floresta+ Amazônia,  parceria do Ministério do Meio Ambiente (MMA) com o PNUD, com recursos do Fundo Verde para o Clima, e pretende valorizar aqueles que contribuem para o desenvolvimento sustentável na região, preservando a floresta e colaborando, assim, para a redução da emissão de gases de efeito estufa.